10 de abr. de 2021

Eu li: Prova de Fogo – Maze Runner #2

Título: Correr ou Morrer

Autor: James Dashner

Editora: V&R Editoras

Leitura: Abril/2021

Nota: 4 estrelas


As resenhas são livres de spoilers e/ou sinalizadas previamente quando acontecerem.


A resenha de hoje é a continuação da série Maze Runner iniciada pelo livro “Correr ou Morrer” (que já tem resenha aqui no blog). Os dois livros fazem parte de um projeto de releituras para que eu consiga finalmente terminar as séries iniciadas e abandonadas há anos.


O Labirinto foi apenas o começo, o pior está por vir. Depois de superarem os perigos mortais do Labirinto, Thomas e seus amigos acreditam que estão a salvo em uma nova realidade. Mas a aparente tranqüilidade é interrompida quando são acordados no meio da noite por gritos de criaturas deformadas, conhecidas como Cranks, que ameaçam devorá-los vivos.


Os Clareanos, antigos moradores da Clareira, descobrem que a salvação aparente pode ser uma armadilha mortal, pior ainda que a Clareira e o Labirinto. Até porque nada é o que aparenta. Eles se vêem jogados em um mundo hostil e terão que fazer uma travessia por um deserto repleto de provas cruéis, sem água, comida ou abrigo.


O Deserto é o novo desafio e até mesmo a chuva é a promessa de uma morte agonizante. Cada passo é espreitado por criaturas famintas e violentas, que atacam sem avisar.


Nesse segundo livro os acontecimentos são extremamente lentos, afinal, não tem como o autor descrever um ambiente cheio de obstáculos e a passagem dos personagens serem tranqüilas, não é mesmo? James Dashner se apega bastante aos detalhes desse novo mundo e realmente nos transporta para a realidade em que sentimos o que os personagens sentem. O que é difícil para mim de acontecer, geralmente a minha imersão não é tão acertada assim.


Foi um martírio seguir essa aventura, porque tudo dá mais errado do que certo. Demorei muito mesmo para finalizar a leitura, mas assim que o fiz consegui entender o motivo. Como disse, o autor foi bem sucedido em transportar o leitor para o universo de Maze Runner. Pode ser que não funcione para alguns e essas pessoas tenham achado o livro ruim.


Comparando o primeiro com o segundo, em questão de ritmo de leitura, o primeiro me prendeu mais do que sua continuação. Tem bastante ação, principalmente em relação aos Cranks, que são as pessoas que não deram certo no experimento. Mas dessa vez senti falta de algumas explicações, por isso a nota foi uma estrela a menos. Mas gostei da leitura, só preciso de um tempo para ler a continuação. Porém, pretendo ler pelo menos mais um ou dois dessa série ainda esse ano.

LEIA MAIS

6 de abr. de 2021

Lançamento: Amor e Monstros (filme da Netflix)


 Amor e Monstros (Love And Monsters) estréia na Netflix no dia 14 de abril de 2021 e conta com Dylan O’Brien, Jessica Henwick e Michael Rooker no elenco. Com a duração de 1h 49 min, classifica pelos gêneros ficcção científica, aventura e comédia. O filme não é recomendado para menores de 12 anos.

Sinopse: Em “Amor e Monstros”, criaturas gigantes assumem o controle da Terra, fazendo com que o resto da humanidade busque refúgio no subsolo. Após sete anos do apocalipse dos monstros, Joel Dawson (Dylan O’Brien) consegue se reconectar via rádio com Aimee (Jessica Henwick), sua namorada da época de escola, e a paixão ressurge. Mesmo com ela vivendo a quase 130 km de distância, Joel percebe que não há nada que o prenda ao subterrâneo e resolve ir em busca de Aimee, apesar de todos os perigos que possam aparecer em sua jornada.


 

Mal posso esperara para assistir ao filme, sou suspeita a comentar o trabalho de Dylan O’Brien, meu crush eterno desde Teen Wolf quando ele era o Stiles. Além de ter o ator Michael Rooker, que é tem o meu ranço por seu papel em The Walking Dead. Só de assistir ao trailer já imagino que pelo menos as risadas estão garantidas. O convite está feito! Dia 14/04/2021 na Netflix!



LEIA MAIS

5 de abr. de 2021

Eu li: Correr ou Morrer – Maze Runner #1

 

Título: Correr ou Morrer

Autor: James Dashner

Editora: V&R Editoras

Leitura: Abril/2021

Nota: 5 estrelas


As resenhas são livres de spoilers e/ou sinalizadas previamente quando acontecerem.


O primeiro livro de abril é o primeiro livro da série Maze Runner. Ele também faz parte do projeto de releituras para que eu consiga finalmente terminar as séries iniciadas e abandonadas há anos.


Fico pensando nos livros que deveria ter lido quando era mais nova, será que eu iria gostar mais deles? Mas por outro lado, penso que estou lendo o que deveria ler no tempo certo, afinal eu fujo dos hypes, não é mesmo?


É uma distopia e o início do livro não temos nenhuma explicação, simplesmente estamos acompanhando alguém chamado Thomas subindo por um longo e escuro corredor, sem saber por quanto tempo estávamos ali e muito menos o real motivo de estarmos ali.


Thomas está dentro de um elevador e a única coisa que consegue se lembrar é seu nome, sua memória está completamente apagada. Depois que a subida interminável acaba, ele se vê rodeado de garotos que o acolhem como novato e o apresentam à Clareira.


A Clareira é um espaço aberto, cercado por muros gigantescos, assim como Thomas, os garotos também não sabem como foram parar ali, nem o por quê. Eles sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem e à noite se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador.


Porém, um fato inesperado altera radicalmente a rotina daquele lugar: uma garota é enviada à Clareira e ela traz consigo uma mensagem surpreendente. Thomas será mais importante do que imagina, para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.


Nada acontece nos primeiros capítulos da distopia escrita por James Dashner e acho que é por isso que muitas pessoas acabam desistindo. Mas ela flui junto com as descobertas dos personagens e então as coisas começam a acontecer. Devagar no começo e depois que a garota chega á Clareira às coisas passam a acontecer mais rapidamente e é ai que você acaba superando a demora no início. São pelos menos entre 130 e 150 páginas apenas de muita observação, então paciência... Vai valer a pena.


É uma distopia com um pé na ficção científica e você acaba gostando dos personagens que irão seguir ao lado de Thomas nessa aventura. Afinal, o Labirinto foi apenas o começo.


LEIA MAIS

4 de abr. de 2021

Li até a página 100 e... #2 – Prince of Thorns [Mark Lawrence]

 


E então Roberta sobrevive de releituras e memórias do passado. Sim, mais uma releitura para a conta! Afinal, a continuação dele está na minha lista de doze livros desse ano. Talvez não dê conta, porque pelo que lembrava, eu tinha devorado esse livro em menos de uma semana. Mas a escrita, apesar de ser fluída e detalhada, requer um pouco mais de atenção e cuidado por causa de alguns gatilhos fortes. Se você for sensível, não indico a leitura dele.


Primeira frase da página 100: “O impacto o derrubou e ele não se levantou mais”.


Do que se trata o livro: As estradas do Império Destruído. Um cenário abandonado há milênios pelos enigmáticos Construtores. É nessa nova era medieval que o Príncipe Honório Jorg Ancrath se vê obrigado a amadurecer para saciar seu desejo de vingança e poder. Jorg testemunhou o brutal assassinato da rainha-mãe e de seu irmão caçula, ainda criança. Jogado à própria sorte em um arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. Quatro anos depois, o Príncipe dos Espinhos lidera uma irmandade de assassinos. E sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.


O que está achando até agora? Não é um livro fácil de ler, porque as cenas são bem escritas e detalhadas. No entanto, é uma leitura extremamente fluída e rápida. É uma releitura, li há uns quatro ou cinco anos atrás e apesar de estar gostando, preciso ir devagar com a leitura.


O que está achando da personagem principal? Ele não é um personagem amável, ele está bem longe disso, na verdade. Alguns amam, outros odeiam Jorg na mesma intensidade. Não é um livro que todos irão gostar, principalmente depois que conhecemos um pouco mais sobre o autor. Apesar disso, eu gosto dele.


Melhor quote até agora: “Príncipe Honório Jorg Ancrath, às suas ordens”. Prestei-lhe minhas reverências.


Vai continua lendo? Sim! Pois a sequência dele está como meta de leitura para esse ano.


Última frase da página: “Lundist ponderou a respeito e deu um passo atrás. ‘Jorg, aqui’. Ele continuou encarando o nubano”.

LEIA MAIS

3 de abr. de 2021

Lista: Doze Livros para 2021



 Aquela lista clássica de doze livros para ler ao longo do ano. Ano passado não fiz essa lista e além de me perder muito nas leituras, acabei lendo pouquíssimo. Mas como esse ano quero voltar com o hábito de ler um pouco todos os dias, estou confiante. Separei em dois nichos da estante livros que eu quero muito ler esse ano, nunca tentei essa tática de separá-los dessa forma, mas espero que funcione.


Fiz uma lista então com doze livros que pretendo muito ler esse ano, pelo menos esses eu queria muito passar para a estante de lidos. Faz tempo que eles me olham e eu não consigo criar coragem de pegá-los. Muitos são bem intimidadores no quesito tamanho. Mas acredito que esteja na hora de perder o medo dos calhamaços. Enfim a hipocrisia de quem só compra calhamaços, mas foge deles.


A lista não está separada em uma ordem certa, eu apenas fui colocando na estante – nos nichos que separei – e anotando os nomes no caderno de leituras. Achei importante ressaltar essa informação para me lembrar no futuro não tão distante da meta.


  • Battle Royale
  • King of Thorns
  • O Dia do Coringa
  • Orgulho e Preconceito
  • Jonathan Strange e Mr. Norrell
  • Saco de Ossos
  • O Nome do Vento
  • Outlander: Viajante no Tempo
  • Espada de Vidro
  • Coração de Tinta
  • O Rei do Inverno

São esses meus doze livros para o ano de 2021. Alguns já entraram em listas de anos anteriores, mas como disse anteriormente, eu morro de medo de ler os calhamaços e nem sei o real motivo. Acredito que seja por pura preguiça mesmo. Mas vamos com seguindo um dia de cada vez. Já adianto que irei intercalar essas leituras com outros livros que também pretendo ler nesse ano, além de algumas releituras para poder dar continuidade com as séries que comecei e não acabei.

Vou tentar atualizar essa lista sempre que possível, mas não garanto. Sou muito esquecida e já mantenho o caderno de leituras para me ajudar, além do bujo. Mas posso ir atualizando em outras postagens. Pensarei nisso. Enfim, já leu algum desses livros da lista? Me indica um por onde começar?

LEIA MAIS